Quinta-feira, 6 de Novembro de 2008

turn the page

 

Ver-te ao longe, como se me tivessem oferecido um presente envenenado. A não-reacção, os pés paralisados e a cabeça desligada do resto do mundo; o não poder gritar e fugir para a outra realidade, a alternativa que criei, onde tu não tens lugar, onde não conheço o sabor dos teus beijos, o teu cheiro, onde não oiço os teus pensamentos a ecoar, estridentes, na minha cabeça. Nessa realidade não dói saber que não sou eu que te faço sorrir, não há lugar para memórias tristes, não há a secreta vontade que me vejas também, a sorrir para o meu par, que sorri de volta e me fecha na palma da mão o sorriso terno e tolo dos apaixonados.

Por que caminhos caminhei, que não consigo encontrar o caminho de volta? Descurei a precaução, e o coração fugiu a galope para longe das minhas rédeas... Não posso desejar que nunca tivesse acontecido, não me arrependo, porque foi - sabes bem – genuíno, em cada momento. Mas desejo, e como desejo!, voltar a ser quem Eu era antes de ter baixado as armas e ter deixado entrar a tua luz. O tempo incomoda e pica e arranha, como uma camisola de lã que não se consegue nunca despir, o querer retroceder e não encontrar a mudança, o saber que nunca o que foi tornará a ser e, também, que todos os blocos de gelo derretem. Está na hora de voltar a página e celebrar o amanhã. 

sinto-me: melting
publicado por Ventania às 21:48
link do post | comentar | favorito
|
10 comentários:
De Anónimo a 7 de Novembro de 2008 às 01:20
O poeta tinha um passado era limpo e pacifico, aprendeu e sentiu coisas, que por motivos que lhe escapam, não poderá voltar a sentir, do mesmo modo. Em vez de desejar um retorno ao passado, porque não usar a nova força, num modo construtivo, e procurar o mesmo sentimento, noutras situações?
De Ashish a 7 de Novembro de 2008 às 01:21
O poeta tinha um passado era limpo e pacifico, aprendeu e sentiu coisas, que por motivos que lhe escapam, não poderá voltar a sentir, do mesmo modo. Em vez de desejar um retorno ao passado, porque não usar a nova força, num modo construtivo, e procurar o mesmo sentimento, noutras situações?
De Ventania a 7 de Novembro de 2008 às 08:35
Respondo à tua pergunta com a tua própria frase: "não poderá voltar a sentir, do mesmo modo". Os sentimentos são irrepetíveis, não se passam a papel químico duma para outra situação, mudando os nomes ou as geografias. Os sentimentos transformam-se, todos eles, e com novas situações nascem novos sentimentos. (Digo eu, que acho redutor limitar o vocabulário emocional a meia dúzia de palavras.)
E tu, caro Ashish, estás disposto a "em vez de desejar um retorno ao passado", usar o que aprendeste e sentiste para te permitires ser feliz? Repito, está na hora de voltar a página e celebrar o amanhã. ;) Beijo.
De oteudoceolhar a 7 de Novembro de 2008 às 12:17
Diz o roto ao nu.......”o mundo corre lá fora...” A vida - dizia um senhor que já partiu - é feita de encontros e desencontros...e tu melhor do que eu deverias saber isso. Eu que vivo fechada numa concha, e vivo entregue a uma merda de passado, infância e o raio que me parta...eu frustrada também desejo “ voltar a ser quem Eu era” ainda que não goste. Nunca pensei....Tu sempre forte de olhar fulminante e determinado...baixar armas? Isso é digno de uma croma como eu...afnal de contas eu vivo no mundo da hola, de hollywood, da passadeira vermelha do corte inglês...o mundo da fantasia.. Virar a pagina...ora ora palavras sábias. Diz alguém sábio também “o dia de amanhã nunca será igual ao de hoje...” assim sendo................VIVEEEEEEEEEEEEEEE...... diz o roto ao nu. Beijo n´oteudoceolhar *
De Ventania a 7 de Novembro de 2008 às 12:56
O meu dilema não é intelectual; conseguisse eu racionalizar a coisa e depressa a dissecava e rebatia em mil argumentos. Baixei as armas de plena consciência, e exponho o que sinto, sem floreados ou dramatismos, certa também de que não estou imune às consequências. Mas quem Eu sou, a tal que conheces de olhar fulminante, não se permite escusar a pegar os touros pelos cornos; não o sei fazer doutra maneira.
...
Beijo para ti também :)
De Artemisa a 7 de Novembro de 2008 às 16:34
Se me deixares, vou levar para os meus favoritos... ;)
De Ventania a 7 de Novembro de 2008 às 16:57
Sinto-me lisonjeada =) Volta sempre!
De mf a 8 de Novembro de 2008 às 00:54
Sabes... Já passei por aí... O meu blog nasceu aí, apaguei e reescrevi de novo. A minha vida depois dele, a minha beleza depois dele. A melhor vingança que podes ter é seres feliz... :)

PS - Vou cá voltar para ver como estás...
De Ventania a 8 de Novembro de 2008 às 08:54
Obrigada pelas tuas palavras e volta sempre que quiseres =)
De Violante a 9 de Novembro de 2008 às 00:47
lindo, lindo!!:)

Comentar post

sobre mim

pesquisar

 

Julho 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
17
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

posts recentes

THE END

Maluda II

Nobody understands (me)

Às vezes não entendo

SHIUUUU

Out of reach

take 1

sem comentários...

Maluda

Choose...

07-07

Horto de incêndio - Al Be...

Que trabalho - Eugénio de...

...

You Are Welcome to Elsino...

...

Mário Cesariny

Sinastria amorosa de Vent...

Definições

Amedeo Modigliani

Mesmo?

...

I mean it

no teu poema - José Luís ...

Sit Down - James

Klimt

A romã

One of these days / Um di...

esferográficas

Manuel Cargaleiro

Somewhere to go, somethin...

Um baú mal fechado

Frida Kahlo

Something's missing

...

...

À janela, no Chiado

Henri de Toulouse-Lautrec

Post Scriptum para F.

...

O AMOR QUANDO SE REVELA -...

...

Erros

Todas as Ruas do Amor - F...

Gone fishing

Diego Vélasquez

de besta a bestial

A Recusa

F.A.

as eternidades já se acab...

arquivos

tags

todas as tags

crème de la crème

Breve história dum abraço...

...

balanço

Adrift

Silêncio

Procuro

Como quem rasga poemas...

um momento

evasões?

Auto-retrato

links

comentários recentes

espelhos de bolso.pequeninos, deprimem-nos- fazem-...
muito bonito , muito tocantegostei bastante !PARAB...
É muito útil para me.I foi muito feliz em encontra...
Nice informações apresentadas no post, obrigado p...
Boa noite!Sou o proprietário de uma obra inédita d...
Parabéns pelo seu blog, muito interessante. Estou ...
Já regressei, minha querida. Aliás, nunca fui long...
Só hoje vi o fim do teu blog... Sinceramente, lá d...
Não. não és só tu a perder calçado!Neste momento e...
Os filmes indianos têm aquele problemas.... há mus...

subscrever feeds