Sábado, 15 de Novembro de 2008

Alanis Morrissete

Sempre gostei muito da música da Alanis Morrissete, da cadência não óbvia com que canta letras com as quais me identifico tantas vezes. Gosto da quase sobre-exposição de peito aberto, das suas verdades atiradas em velocidade.

Fica aqui uma das mais recentes, Torch, do álbum "Flavors of Entanglement":


 

 

I miss your smell and your style 
And your pure abiding way 
Miss your approach to life 
And your body in my bed 
Miss your take on anything 
And the music you would play 
Miss cracking up and wrestling 
Our debriefs at end of day
 

These are the things that I miss 
These are not times for the weak of heart 
These are the days of raw despondence 

And I never dreamed I would 
have to lay down my torch for 
you like this 


I miss your neck and your gait 
And your sharing what you write 
Miss you walking through the front door 

Documentaries in your hand 
Miss traveling our traveling 

And your fun and charming friends 
Miss our Big Sur getaways 
And to watch you love my dogs
 

These are the things that I miss 
These are not times for the weak of heart 
These are the days of raw despondence 
And I never dreamed I would 
have to lay down my torch for 
you like this 

One step one prayer 
I soldier on 
Simulating moving on 


I miss your warmth and the thought 
Of us bringing up our kids 
And the part of you that walks with 
your stick-tied handkerchief 

These are the things that I miss 
These are not times for the weak of heart 
These are the days of raw despondence 
And I never dreamed I would 
have to lay down my torch for 
you like this
 

sinto-me: forever incomplete
publicado por Ventania às 14:18
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Ventania a 18 de Novembro de 2008 às 20:45
Sem sombra de duvidas, uma das melhores cantoras do mundo. Também gosto muito :)

Comentar post

sobre mim

pesquisar

 

Julho 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
17
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

posts recentes

THE END

Maluda II

Nobody understands (me)

Às vezes não entendo

SHIUUUU

Out of reach

take 1

sem comentários...

Maluda

Choose...

07-07

Horto de incêndio - Al Be...

Que trabalho - Eugénio de...

...

You Are Welcome to Elsino...

...

Mário Cesariny

Sinastria amorosa de Vent...

Definições

Amedeo Modigliani

Mesmo?

...

I mean it

no teu poema - José Luís ...

Sit Down - James

Klimt

A romã

One of these days / Um di...

esferográficas

Manuel Cargaleiro

Somewhere to go, somethin...

Um baú mal fechado

Frida Kahlo

Something's missing

...

...

À janela, no Chiado

Henri de Toulouse-Lautrec

Post Scriptum para F.

...

O AMOR QUANDO SE REVELA -...

...

Erros

Todas as Ruas do Amor - F...

Gone fishing

Diego Vélasquez

de besta a bestial

A Recusa

F.A.

as eternidades já se acab...

arquivos

tags

todas as tags

crème de la crème

Breve história dum abraço...

...

balanço

Adrift

Silêncio

Procuro

Como quem rasga poemas...

um momento

evasões?

Auto-retrato

links

comentários recentes

espelhos de bolso.pequeninos, deprimem-nos- fazem-...
muito bonito , muito tocantegostei bastante !PARAB...
É muito útil para me.I foi muito feliz em encontra...
Nice informações apresentadas no post, obrigado p...
Boa noite!Sou o proprietário de uma obra inédita d...
Parabéns pelo seu blog, muito interessante. Estou ...
Já regressei, minha querida. Aliás, nunca fui long...
Só hoje vi o fim do teu blog... Sinceramente, lá d...
Não. não és só tu a perder calçado!Neste momento e...
Os filmes indianos têm aquele problemas.... há mus...

subscrever feeds