Sexta-feira, 29 de Abril de 2005

AI

A minha brisa trabalha, freneticamente, do outro lado do rio. Quase ouço o som dos dedos nas teclas, ou a coçar o queixo enquanto acena com a cabeça, balbuciando códigos de linguagens paralelas. Conheço-lhe os sons, os cheiros, os jeitos. Detenho-me neste pensamento e dou por mim a sorrir com a imagem daquele outro sorriso, tão lindo, hoje em tons de azul e prata.
As águas do rio que nos separa e nos une estão hoje serenas e convidativas... Mergulho. Mas só em espírito, porque toda a gente sabe que as ventanias e as águas serenas nao se dão bem. São complementares, mas os elementos muito distintos, de limites vincados com forças físicas e leis químicas. De boleia na corrente, lembrando a lontra que não vi (Guadiana abaixo, ou seria acima?), aprecio as paisagens que correm de ambos os lados, enquanto me aproximo do desejado (tão, tão desejado) destino. Pudessem estas correntes de ar encontrar-se a meio caminho, sempre que o pensamento se pudesse materializar, à velocidade da luz... O rio borbulharia constantemente, espuma incessante a envolver cacilheiros e velejadores, gaivotas e taínhas.
AI, vontade de estar noutro sítio, a contemplar um brilho nos olhos que se sabe ser da nossa autoria...
AI. Saudades, que tinha mesmo antes de conhecer-te e paixão que floriu a duas dimensões.
AI. Amor.


O vento anda, corre e voa!
publicado por Ventania às 22:54
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De BrisaAzul a 5 de Maio de 2005 às 23:38
Ai Ventania... mesmo do outro lado do rio, estou junto a ti, tão perto de ti... os nossos corações batem em sintonia, as nossas almas são uma! Amor é isso mesmo, estar contigo mesmo quando não esto, ser completo mesmo quando o não somos, ser feliz simplesmente porque alguém existe e nos faz sentir o topo do mundo... Eu amo-te! Tu és a minha alma gémea!
De VentaniaAzul a 5 de Maio de 2005 às 23:46
"If you were my head, you'd know where it hurts, you'd clean up the dirt, if you were my head I would be heard..." - K's Choice

Comentar post

sobre mim

pesquisar

 

Julho 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
17
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

posts recentes

THE END

Maluda II

Nobody understands (me)

Às vezes não entendo

SHIUUUU

Out of reach

take 1

sem comentários...

Maluda

Choose...

07-07

Horto de incêndio - Al Be...

Que trabalho - Eugénio de...

...

You Are Welcome to Elsino...

...

Mário Cesariny

Sinastria amorosa de Vent...

Definições

Amedeo Modigliani

Mesmo?

...

I mean it

no teu poema - José Luís ...

Sit Down - James

Klimt

A romã

One of these days / Um di...

esferográficas

Manuel Cargaleiro

Somewhere to go, somethin...

Um baú mal fechado

Frida Kahlo

Something's missing

...

...

À janela, no Chiado

Henri de Toulouse-Lautrec

Post Scriptum para F.

...

O AMOR QUANDO SE REVELA -...

...

Erros

Todas as Ruas do Amor - F...

Gone fishing

Diego Vélasquez

de besta a bestial

A Recusa

F.A.

as eternidades já se acab...

arquivos

tags

todas as tags

crème de la crème

Breve história dum abraço...

...

balanço

Adrift

Silêncio

Procuro

Como quem rasga poemas...

um momento

evasões?

Auto-retrato

links

comentários recentes

espelhos de bolso.pequeninos, deprimem-nos- fazem-...
muito bonito , muito tocantegostei bastante !PARAB...
É muito útil para me.I foi muito feliz em encontra...
Nice informações apresentadas no post, obrigado p...
Boa noite!Sou o proprietário de uma obra inédita d...
Parabéns pelo seu blog, muito interessante. Estou ...
Já regressei, minha querida. Aliás, nunca fui long...
Só hoje vi o fim do teu blog... Sinceramente, lá d...
Não. não és só tu a perder calçado!Neste momento e...
Os filmes indianos têm aquele problemas.... há mus...

subscrever feeds