Domingo, 25 de Janeiro de 2009

Identidade

Acredito que as pessoas, na sua essência, não mudam. Querendo, podem limar-se arestas aqui ou ali, acontece a maturidade e as escolhas que se fazem, mas nos alicerces que nos fazem ser quem somos não há volta a dar-lhe. Estes alicerces manifestam-se cedo, fruto do que vamos conseguindo colher do que nos rodeia, aprendizagens, exemplos, fruto das heranças que carregamos, do contexto em que somos despejados. Ser quem somos, como um fardo indissociável da identidade. Nem sempre fácil, mas dos poucos incontornáveis da vivência, mais que da vida, de cada um, por muito que se tente fugir da própria sombra.

sinto-me: like me
publicado por Ventania às 20:42
link do post | comentar | favorito
|
7 comentários:
De John Doe a 25 de Janeiro de 2009 às 22:02
Engraçado como disse isto tudo ainda hoje...
De Ventania a 26 de Janeiro de 2009 às 22:08
Para uns uma verdade absoluta, outros contestarão com todas as forças. Mas até prova em contrário, cá fico na minha...
De Ouriço a 25 de Janeiro de 2009 às 23:28
É bem verdade, minha querida. Mas há comportamentos, tácticas às vezes infantis (fruto da nossa herança), reacções de defesa que podemos e devemos modificar, se as conhecermos. Porque isso vai ajudar-nos a sermos mais autênticas. E, consequentemente, aproximamo-nos mais da nossa essência...
De Ventania a 26 de Janeiro de 2009 às 22:01
Melhorar, sempre, é o lema. E sempre um 'work in progress'.
De miúda a 25 de Janeiro de 2009 às 23:33
concordo com o que dizes. por muito que se mude essas mudanças assentam sempre no que fomos contruindo até ali. uma casa com paredes deitadas abaixo e novas paredes construidas, com uma pintura diferente ou uma nova fachada, nunca deixará de ser a casa que sempre foi, os pilares que a suportam estarão no local onde sempre estiveram. procuramos tantas vezes fugir a nós mesmos e aos traços errados que vamos deixando mas só nos conseguimos cansar ou quando muito ludibriar sob uma falsa aparencia de mudança e conquista pessoal. no entanto mudanças precisam-se, é preciso corrigir o que achamos errado moldando-nos e evoluindo perante o avançar inquieto do mundo que nos rodeia.
beijinho***
De Ventania a 26 de Janeiro de 2009 às 22:07
Só não evolui ou não cresce quem vive para dentro de si, toldado à realidade e aos outros. Mas lá está, os pilares estão sempre de pé a sustentar tudo o resto. Bjs!
De Wild Falcon a 7 de Fevereiro de 2010 às 12:51
Eu diria aqui a semente não muda, mas muitas vezes apenas a olhar para ela temos alguma dificuldade em perceber como será a flor (quando eu era pequeno a minha mãe vendia flores e um dos meus divertimento era mudar os bolbos de umas caixas para as outras, Gostava de imaginar as pessoas serem surpreendidas pela cor que lhes houvera calhado uns 3 ou 4 meses depois... só uma dezena de anos depois confessei finalmente a minha traquinice!)
Se não tivermos a água na quantidade certa e uma terra adequada podemos ficar como os pinheiros junto ao mar, tortos e retorcidos.

Comentar post

sobre mim

pesquisar

 

Julho 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
17
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

posts recentes

THE END

Maluda II

Nobody understands (me)

Às vezes não entendo

SHIUUUU

Out of reach

take 1

sem comentários...

Maluda

Choose...

07-07

Horto de incêndio - Al Be...

Que trabalho - Eugénio de...

...

You Are Welcome to Elsino...

...

Mário Cesariny

Sinastria amorosa de Vent...

Definições

Amedeo Modigliani

Mesmo?

...

I mean it

no teu poema - José Luís ...

Sit Down - James

Klimt

A romã

One of these days / Um di...

esferográficas

Manuel Cargaleiro

Somewhere to go, somethin...

Um baú mal fechado

Frida Kahlo

Something's missing

...

...

À janela, no Chiado

Henri de Toulouse-Lautrec

Post Scriptum para F.

...

O AMOR QUANDO SE REVELA -...

...

Erros

Todas as Ruas do Amor - F...

Gone fishing

Diego Vélasquez

de besta a bestial

A Recusa

F.A.

as eternidades já se acab...

arquivos

tags

todas as tags

crème de la crème

Breve história dum abraço...

...

balanço

Adrift

Silêncio

Procuro

Como quem rasga poemas...

um momento

evasões?

Auto-retrato

links

comentários recentes

espelhos de bolso.pequeninos, deprimem-nos- fazem-...
muito bonito , muito tocantegostei bastante !PARAB...
É muito útil para me.I foi muito feliz em encontra...
Nice informações apresentadas no post, obrigado p...
Boa noite!Sou o proprietário de uma obra inédita d...
Parabéns pelo seu blog, muito interessante. Estou ...
Já regressei, minha querida. Aliás, nunca fui long...
Só hoje vi o fim do teu blog... Sinceramente, lá d...
Não. não és só tu a perder calçado!Neste momento e...
Os filmes indianos têm aquele problemas.... há mus...

subscrever feeds