Sábado, 21 de Fevereiro de 2009

evasões?

Tento fugir-te, trabalhando, escrevendo, lendo, fotografando. Escusado. Todos os caminhos vão dar a ti.

Uma cor, um relato, uma canção. Tudo sempre sobre ti, sobre o que nós não somos. A impedir de me esquecer das saudades que tenho de ti.

sinto-me: ausente de mim procuro-te a ti
publicado por Ventania às 16:06
link do post | comentar | favorito
|
7 comentários:
De Ventania a 23 de Fevereiro de 2009 às 08:50
às vezes tenho a sensação que fugimos apenas de nós próprios...
Beijinho
E muito chocolate, como diria o Pessoa: Come chocolates.

(Come chocolates, pequena, Come chocolates!
Olha que não há mais metafísica no mundo senão chocolates.
Olha que as religiões todas não ensinam mais que a confeitaria.
Come, pequena suja, come!
Pudesse eu comer chocolates com a mesma verdade com que comes!
Mas eu penso e, ao tirar o papel de prata, que é de folha de estanho,
Deito tudo para o chão, como tenho deitado a vida.)
Álvaro de Campos
De Ventania a 23 de Fevereiro de 2009 às 11:58
é que até os Oscars... humpf!
De Artemisa a 23 de Fevereiro de 2009 às 15:50
"Tudo passa por ele, não é?"
De Ventania a 23 de Fevereiro de 2009 às 20:46
Todos os caminhos vão dar a ele, quer eu tente fugir, ignorar ou assuma que vai ser assim sempre, quer ele esteja longe ou próximo. Não é fácil porque o passado não se muda e o futuro teima em ir por outra direcção.
De Ouriço a 25 de Fevereiro de 2009 às 18:15
Esse é aquele-que-já-passou? Se é, olha, faz como eu: tem lá paciência contigo que um dia os neurónios vão-se esquecer da sua existência...
De Ventania a 25 de Fevereiro de 2009 às 19:47
O-que-já-passou já passou mesmo, tanto que lhe chamo (com carinho e respeito) falecido. Que seja muito feliz, assim o espero. Este é o-que-já-devia-ter-passado. Mas permanece cá por dentro e não faço puto ideia porquê. E faz-me falta como nunca ninguém fez. Pronto, já disse.
De Ouriço a 26 de Fevereiro de 2009 às 11:15
Pois... Nada a fazer a não ser esperar que passe. Há pessoas que se agarram à nossa pele tipo lapas e demoram a sair. Mas saem. Dá tempo ao tempo. Sente tudo o que dói, porque fingir que não dói não cura nada. E tem paciência contigo.
Abraço forte

PS - Um miminho a ti mesma de vez em quando não faz nada mal... ;)

Comentar post

sobre mim

pesquisar

 

Julho 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
17
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

posts recentes

THE END

Maluda II

Nobody understands (me)

Às vezes não entendo

SHIUUUU

Out of reach

take 1

sem comentários...

Maluda

Choose...

07-07

Horto de incêndio - Al Be...

Que trabalho - Eugénio de...

...

You Are Welcome to Elsino...

...

Mário Cesariny

Sinastria amorosa de Vent...

Definições

Amedeo Modigliani

Mesmo?

...

I mean it

no teu poema - José Luís ...

Sit Down - James

Klimt

A romã

One of these days / Um di...

esferográficas

Manuel Cargaleiro

Somewhere to go, somethin...

Um baú mal fechado

Frida Kahlo

Something's missing

...

...

À janela, no Chiado

Henri de Toulouse-Lautrec

Post Scriptum para F.

...

O AMOR QUANDO SE REVELA -...

...

Erros

Todas as Ruas do Amor - F...

Gone fishing

Diego Vélasquez

de besta a bestial

A Recusa

F.A.

as eternidades já se acab...

arquivos

tags

todas as tags

crème de la crème

Breve história dum abraço...

...

balanço

Adrift

Silêncio

Procuro

Como quem rasga poemas...

um momento

evasões?

Auto-retrato

links

comentários recentes

espelhos de bolso.pequeninos, deprimem-nos- fazem-...
muito bonito , muito tocantegostei bastante !PARAB...
É muito útil para me.I foi muito feliz em encontra...
Nice informações apresentadas no post, obrigado p...
Boa noite!Sou o proprietário de uma obra inédita d...
Parabéns pelo seu blog, muito interessante. Estou ...
Já regressei, minha querida. Aliás, nunca fui long...
Só hoje vi o fim do teu blog... Sinceramente, lá d...
Não. não és só tu a perder calçado!Neste momento e...
Os filmes indianos têm aquele problemas.... há mus...

subscrever feeds