Terça-feira, 24 de Março de 2009

?

Como é que se mantém toda uma estrutura de pé quando apenas um dos alicerces não está danificado?

sinto-me: trying to stay sane
tags: , ,
publicado por Ventania às 20:30
link do post | comentar | favorito
|
8 comentários:
De miúda a 24 de Março de 2009 às 22:37
não se mantem, a estrutura cede a cai estrondosamente deitando por terra quaisquer elementos que estivesse a suportar. Obriga a um recontruir de fundações e pilares muito mais fortes e poderosos...
um beijinho***
De Ventania a 27 de Março de 2009 às 21:22
I think I need a bulldozer...
De Ventania a 24 de Março de 2009 às 23:03
Espera-se pela erosão do tempo...
Se o vento soprar favoravelmente a coisa equilibra-se, se não... talvez seja a altura de recomeçar a construção de uma nova estrutura com alicerces seguros.
Abraço silencioso
De Ventania a 27 de Março de 2009 às 21:27
Agora lembraste-me a história dos 3 porquinhos... Sabes que por aqui o vento tem a tendência de arrancar tudo do sítio, mesmo as raízes... Abraço.
De Carla Ferreira a 25 de Março de 2009 às 21:14
Pois... Ás vezes também me pergunto isso... Vale-me a crença de que no fundo do nosso intimo existe sempre uma força para nos ajudar; por muito que desvanecida ou de linhas ténues... De resto, também penso que de momentos de vazio surge a realidade do nosso eu, a nossa força, o que nos faz caminhar... No fundo, por muito que doam, acho que são os momentos em que nos pomos em questão que nos fazem gente... Um abraço
De Ventania a 30 de Março de 2009 às 18:45
E quem não (se) questiona, é como quem não vê mais do que sombras.
Já a força de que falas, não me costuma falhar quando preciso de edificar alguma coisa. Resta saber se tenho forças e coragem agora que chegou a altura de demolir.
Um abraço, volta sempre.
De outraidade a 26 de Março de 2009 às 16:57
Se apenas estão "danificados" podem reconstruir-se não?
De Ventania a 27 de Março de 2009 às 21:37
Não sei se têm recuperação. Mas uma coisa é certa, o tal alicerce que está intacto vai sempre ficar de pé.

Comentar post

sobre mim

pesquisar

 

Julho 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
17
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

posts recentes

THE END

Maluda II

Nobody understands (me)

Às vezes não entendo

SHIUUUU

Out of reach

take 1

sem comentários...

Maluda

Choose...

07-07

Horto de incêndio - Al Be...

Que trabalho - Eugénio de...

...

You Are Welcome to Elsino...

...

Mário Cesariny

Sinastria amorosa de Vent...

Definições

Amedeo Modigliani

Mesmo?

...

I mean it

no teu poema - José Luís ...

Sit Down - James

Klimt

A romã

One of these days / Um di...

esferográficas

Manuel Cargaleiro

Somewhere to go, somethin...

Um baú mal fechado

Frida Kahlo

Something's missing

...

...

À janela, no Chiado

Henri de Toulouse-Lautrec

Post Scriptum para F.

...

O AMOR QUANDO SE REVELA -...

...

Erros

Todas as Ruas do Amor - F...

Gone fishing

Diego Vélasquez

de besta a bestial

A Recusa

F.A.

as eternidades já se acab...

arquivos

tags

todas as tags

crème de la crème

Breve história dum abraço...

...

balanço

Adrift

Silêncio

Procuro

Como quem rasga poemas...

um momento

evasões?

Auto-retrato

links

comentários recentes

espelhos de bolso.pequeninos, deprimem-nos- fazem-...
muito bonito , muito tocantegostei bastante !PARAB...
É muito útil para me.I foi muito feliz em encontra...
Nice informações apresentadas no post, obrigado p...
Boa noite!Sou o proprietário de uma obra inédita d...
Parabéns pelo seu blog, muito interessante. Estou ...
Já regressei, minha querida. Aliás, nunca fui long...
Só hoje vi o fim do teu blog... Sinceramente, lá d...
Não. não és só tu a perder calçado!Neste momento e...
Os filmes indianos têm aquele problemas.... há mus...

subscrever feeds