8 comentários:
De John Doe a 12 de Janeiro de 2009 às 19:42
Gostei. Gostei mesmo. Tanto que já estive nesse papel... Obrigado por o colocares tão transparente...
De Ventania a 12 de Janeiro de 2009 às 20:43
Fico contente de ver que utilizas o pretérito. Vivendo e aprendendo... =)
De Isa_ a 12 de Janeiro de 2009 às 20:13
desculpa, mas eu tou à procura de um cigano.. há algum por aí??
De Ventania a 12 de Janeiro de 2009 às 20:44
Gipsy kings, serve?... ;)
De mim a 13 de Janeiro de 2009 às 14:26
Embora a vontade seja a de aplaudir...

- O que seria dos rapazolas se não existissem estas cabras? A sua realidade seria vazia e sem utilidade. É que, inevitavelmente, existem pessoas que existem para serem usadas...

Conheço defeitos maiores nos homens e no entanto não os vejo se denunciarem e alertarem para os perigos das pobres tontas que se deixam enganar.

Vivendo e aprendendo.
De Ventania a 14 de Janeiro de 2009 às 19:47
Sem as cabras, talvez os rapazolas se tornassem homens mais depressa. Se isso era ou não bom para eles já é do domínio das suposições.
Defeitos nos homens conheço demasiados, mas (in)felizmente não o suficiente para deixar de lhes 'achar piada'. ;)

Obrigada pela visita, volta sempre!
De outraidade a 13 de Janeiro de 2009 às 15:19
Depois de ler o que escreveu, veio-me à memória um economista e sociólogo francês do século passado Alfred Sauvy que, a propósito do equilíbrio população/recursos, dizia "as cabras devem a vida a quem as come e o interesse dos lobos é o de que no terreno existam montanhas inacessíveis a eles para as cabras se refugiarem".
De Ventania a 14 de Janeiro de 2009 às 19:45
O equilíbrio dos ecossistemas é frágil. Mas doa a quem doer, a Natureza encontra sempre uma forma de estabilizar. Bendita selecção natural!

Comentar post