11 comentários:
De Ventania a 26 de Janeiro de 2009 às 13:38
Acredito que o melhor dos conselhos surgirá de dentro de ti :)
Kiss
P.S Que sopa tão grande!!!
De Ventania a 26 de Janeiro de 2009 às 13:49
Um autêntico caldeirão! ;) Beijinho!
De G. a 26 de Janeiro de 2009 às 20:56
O G. é fã do P.C. simplesmente por achar que ele tem o que é preciso para tratar a V. como ela merece: uma rainha. Porem se o P.C. não der o clique na V. para quê insistir? Nem vale a pena estragar algo que pode simplesmente ser uma boa e profunda amizade. (Se der o clique e a V. optar por ignorar - por estar presa à ideia do P. - então, se o G. perceber isto tudo, está cá para dar um empurrãozinho à V. na direcção do P.C.). Acho que a C. concordaria comigo.

Quanto ao P., P. é a inicial que lhe assenta melhora, já que a fome dele dá-lhe para sonhar com um bife da vazia, e nem sequer tem noção do bife do lombo que lhe passa à frente.

Quanto ao F. ... Bom esse é simplesmente E.
De Ventania a 26 de Janeiro de 2009 às 21:48
Vê lá se não tenho razão, o G. "verbaliza até os pensamentos que eu faço por ignorar". E sim, a V. e o P.C. fazem faísca, a V. é que ainda está um bocadinho esturricada do incêndio florestal que deflagrou lá na terra das vacas que não dão bifes (e às vezes tem ganas de atar o P., o P.C. e o E. do F. com um cordelinho e enviá-los a todos por correio para Abu Dhabi, sem remetente).
De anonimo do costume a 26 de Janeiro de 2009 às 21:37
Pelo menos, não há nenhum 'o L.' por ai.
Feliz por assim o ver!
De Ventania a 28 de Janeiro de 2009 às 12:31
Não há nenhum, poderia haver em duplicado, não fosse a minha paixão por metáforas.
De oteudoceolhar a 28 de Janeiro de 2009 às 10:13
A C. "Sabe que as cicatrizes não saram nunca e teme que a minha vida seja pautada por este sentimento, tão avassalador que não se sabe como gerir, que transvasa e perde dimensão nas definições meramente verbais. Compreende que provavelmente poderia gostar tanto do P.C. " (que te conhece como ninguém ou quase ninguem acredito-----mas n é preciso ser C. Para saber que as feridas - aquelas que nem com betadine lá vão - n se curam não é dificil --- e vindo de TI que já deverias saber QUE não existem PC) "...como gostei do F., a lifetime ago, com todos os significados que isto acarreta. As diferenças são o que entretanto aprendi e cresci, os erros que não voltarei a cometer, são os sonhos que sonhei e os sentimentos que descobri..." (nunca digas desta água não beberei...já o disseste long time a go e n digas agora)...Se fizesse algum sentido osconselhos n se davam vendiam-se...ainda assim há muita gente que gosta de Ti e tem Nome, não se escondem atrás do anonimato...so... se não gostei do F. confesso que tb n morri de amores pelo anónimo do costume...mas obviamente as pessoas não tem de todas elas nos agradarem, nem tão pouco gostarem de nós. A procura pode ser complicada, e até mesmo podemos nunca encontrar o PC ou a PC...mas The Show Must Go On...e eu que pensava que a lamechas era eu...Aqui a Maria Ferreira, diz e assina bem por baixo TODOS OS FALECIDOS (os bem falecidos e os que deveriam já sê-lo há muito, NÂO SERVEM PARA TI)...e como já me disseste mais vale só do que mal acompanhada...agora se doi?...Doi e doi muito, mas se só nos doi a nós mais vale comer a sopa de letras e ir em frente...secalhar no fundo e mesmo sendo uma louca a companhia de uma gaja é bem melhor para um cinema do que a de um gajo (cof! cof!)...como sempre I LOVE YOU ...
De Ventania a 28 de Janeiro de 2009 às 12:37
Não preciso de te dizer que o show does go on, tens visto que sim, todos os dias dos últimos anitos. Sem procurar às vezes tropeçamos nas melhores coisas da vida, outras vezes coisas que fazem doer. Mas vale sempre a pena, desde que seja real. Prefiro que doa, sabendo que se dói é porque estou viva, a não arriscar, a não ousar e não viver. Sem subterfúgios, sem máscaras. What you see is what you get. Um beijo (n'o teu doce olhar!!!) ;)
De S. a 28 de Janeiro de 2009 às 12:15
Histórias com P.C.s... Das que me lembro melhor na minha infância, numa delas o tipo só teve coragem de beijar a rapariga, porque estava a dormir. Noutra, era tão zarolho que para a encontrar precisou do molde idealizado, a porra do sapatinho ridículo...
Há uns quantos P.Cs que se escudam no mistério, na inacessibilidade, porque no fundo têm medo de não serem assim tão charming. Azar.
Eu cá prefiro os P.P.s (Petit Prince), aqueles que não têm medo de se prender a ti, mesmo que isso os faça chorar, porque a dor de não ter vivido, de não se terem entregado, é muito maior do que a dor da perda.
Não mereces nada menos do que um Petit Prince e vais tê-lo.
Um beijo,
S.
De Ventania a 29 de Janeiro de 2009 às 22:55
Eu que digo sempre que é injusto dizer que são todos iguais, começo a acreditar é que são todos um bocado parvos (uns mais que outros...). Como não tenho muito jeito para subtilezas, em vez de fingir que estou a dormir ou perder um sapatinho, vou inspirar-me no Muntadar al-Zaidi e começar a atirar com as botas aos PPs (Potenciais Príncipes)! ;) Beijos!
De Wild Falcon a 7 de Fevereiro de 2010 às 13:00
Os filmes indianos têm aquele problemas.... há musica a mais se é que me entendes :)
Mas lá que o elenco é complexo, lá isso é.
Cada vez acredito mais que a vida é mesmo muito mais impressionante que a ficção, mas mesmo muito mais.
Intriga-me... depois de mais de um ano encontraste a resposta às tuas dúvidas?

Comentar post